• docorpo

Terra Chamando




"Eu quero ter uma vida biodegradável com o meu amor..."

Ouvindo Anelis Assumpção, estava caminhando hoje despretensiosa pela Rua das Laranjeiras rumo a um compromisso, e de repente fui parada pelo o "freio de mão" de uma estranha, que puxou minha bolsa e falou animada "Tem uma pessoa te chamando ali no loft.", apontando para um casarão vintage que descontraía a paisagem já próximo do Largo do Machado.

Como eu estava adiantada uma hora em relação ao meu compromisso, tirei o fone de ouvido, voltei hiper curiosa até o portão da casa e encontrei o sorrisão da Ana Paula Duarte, uma amiga querida, Consteladora Familiar e Terapeuta Corporal. Além de me cumprimentar, ela queria que eu conhecesse o novo espaço em que ela estava atendendo, e me apresentou a Casa T.E.R.R.A. - Transição de Empreendedores em Rede Rumo à Abundância.




Fui entrando e senti uma energia muito especial no lugar, sem a Paula dizer muita coisa, já dava para entender que havia algo diferente acontecendo ali. Com o cheiro de curry da hora do almoço, fui seduzida a dar uma volta pelo espaço. No primeiro andar tem algumas salas usadas para atendimento terapêutico individual, e ao lado o salão Glocalização onde acontece eventos e atividades diversas em grupo. No térreo tem o espaço gastronômico Co.Zinha Pop Up, a loja colaborativa Pulsar.Co e o Labex.Cia - Laboratório Exponencial de Ciências Abertas.

Inspirados pelo Brian Robertson e o conceito de Holocracia, a casa reúne artistas, terapeutas e empreendedores afim de cocriar um espaço horizontal de coworking. No site da casa o coletivo se auto-intitula "um negócio social composto por um grupo de pessoas engajadas e comprometidas a cuidar da vida com o despertar de uma nova consciência.". Os princípios da Terra dialogam sob a economia criativa, as organizações orgânicas e a co-responsabilidade sistêmica.



A Paula foi me abrindo todas as portas da casa, me mostrando tudo que havia e estava sendo criado pelos terráqueos, até chegar no Labex e relaxarmos demoradamente no sofá para trocarmos uma ideia com o Toni Dias, gestor de pessoas e idealizador do Labex. Descobri ainda com Toni que a casa funciona com a sua própria moeda através do "criptomoeda", um sistema de troca de moeda digital descentralizado, e que no dia 20 de setembro vai ter uma festa onde tudo será consumido através deste sistema, a CriptoHouse: A Festa.

Achei tudo tão curioso! A mulher que ouviu o chamado da Paula e não hesitou em me fazer parar, e mostrar que havia outro caminho para descobrir naquele momento. A casa, as pessoas, a proposta, a festa. Fiquei feliz em constatar que no mesmo caminho, percorrido tantas e tantas vezes, ainda há a possibilidade de encontrar coisas novas e inspiradoras. É sempre uma delícia caminhar nas trilhas do devir e ouvir seus chamados, que estão acontecendo o tempo inteiro, só nos basta parar, respirar e presenciar.

Pretendo voltar mais vezes à Casa Terra e conhecer mais sobre este novo paradigma coletivo socioeconômico e cultural. Aos poucos vou colocando mais descobertas por aqui.

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo